O Vegetarianismo e Suas Variações

Quando falamos no vegetarianismo, do ponto de vista nutricional, consideramos que o indivíduo não consome nenhum tipo de carne (bovina, suína,  aves, peixes e frutos do mar, carnes de caça, etc.).

É muito comum encontrarmos os “vegetarianos que às vezes comem peixes e frutos do mar”. Para essas pessoas, muitos profissionais da saúde consideram o termo “semivegetarianismo”, termo também muito utilizado em estudos científicos.

Logo, por definição, vegetariano é aquele indivíduo que não consome nenhum tipo de carne e produtos feitos com carne, nem ocasionalmente, sendo a alimentação desses baseada em grãos, cereais, oleaginosas, frutas, verduras e legumes.

Dentro do vegetarianismo, existem diferentes classificações, segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira (SBV)[1] e a The Vegan Society[2], a mais antiga entidade vegana do mundo:

 

  1. Ovolactovegetarianos: não consomem nenhum tipo de carne, mas consome ovos e leite e seus derivados.

 

  1. Ovovegetarianos: não consomem nenhum tipo de carne, leite e seus derivados, mas consomem ovo.

 

  1. Lactovegetarianos: não consomem nenhum tipo de carne ou ovo, mas consomem leite e derivados.

 

  1. Vegetarianos estritos: não consomem nenhum alimento ou produto alimentício de origem animal, entre eles mel, gelatina, alguns suplementos (albumina e whey protein), corantes e espessantes.

 

  1. Veganos: é um estilo de vida e vai além da alimentação. Não consomem nenhum produto alimentício ou alimento de origem animal, como o vegetariano estrito, mas também excluem do dia a dia qualquer tipo de produto ou serviço que explore os animais.

 

Segundo a The Vegan Society: “O veganismo é uma forma de viver que busca excluir, na medida do possível e do praticável, todas as formas de exploração e de crueldade contra animais, seja para a alimentação, para o vestuário ou para qualquer outra finalidade. No entanto, uma coisa que todos nós temos em comum é uma dieta baseada em vegetais, livre de todos os alimentos de origem animal, como: carne, laticínios, ovos e mel, bem como produtos como o couro e qualquer produto testado em animais.”

 

No Brasil, a campanha Segunda sem Carne visa, desde 2009, “…conscientizar as pessoas sobre os impactos que o uso de produtos de origem animal têm sobre  os animais, a sociedade, a saúde humana e  o planeta, convidando-as a tirá-los do prato pelo menos uma vez por semana e a descobrir novos sabores3 “.

Essa campanha existe desde 2003 em mais de 40 países. No estado de São Paulo, a introdução da merenda vegetariana começou em 2011 nas escolas, e desde 2014 os restaurantes populares do programa Bom Prato também começaram a substituir a proteína animal pela proteína vegetal às segundas-feiras. 

Quando bem orientadas e executadas, as dietas vegetarianas, em geral, fornecem menores quantidades energéticas e proporção de gorduras saturadas, maior teor de fibras, frutas e vegetais (que fornecem micronutrientes importantíssimos para nossa saúde). Deve-se considerar também que quem adota esta dieta também tende a ter maior preocupação com o estilo de vida, evitam fumo, álcool, drogas e praticam atividade física regularmente.

Muitos que fazem a transição da dieta onívora para a vegetariana sem orientação adequada podem apresentar aumento do peso (porque passam a consumir uma quantidade maior de carboidratos que o necessário), ficam anêmicos ou com sistema imune comprometido, pois não conseguem equilibrar os macro e micronutrientes de forma adequada.

Uma dieta vegetariana ou vegana equilibrada fornece todos os nutrientes para nossa saúde! Muitos atletas adotam esse estilo de vida: Carl Lewis (corredor), Venus e Serena Willians (tenistas), Brendan Brazier (triatleta), Patrik Baboumian (fisioculturista), Keith Holmes (boxe).

 

Logo, quem quer fazer a transição para qualquer forma de vegetarianismo deve buscar a ajuda de profissionais da saúde (médicos e nutricionistas) aptos para orientar esse processo, evitando, assim, qualquer tipo de carência nutricional que possa impactar negativamente na saúde.

 

 

Camila Saviano

Nutricionista da Clínica Move

 

 

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Style switcher RESET
Color scheme