Síndrome Metabólica: um alerta vermelho para a sua saúde

O que é a síndrome metabólica?  

Síndrome metabólica é o termo utilizado para um conjunto de fatores de risco implicados no desenvolvimento de doenças cardiovasculares e do diabetes. Sua patogênese está relacionada principalmente à resistência insulínica e à inflamação causadas por uma disfunção do tecido adiposo. Além da predisposição genética, o estilo de vida caracterizado pelo sedentarismo e dieta pouco saudável tem grande impacto no desenvolvimento da síndrome.Sua prevalência tem aumentado, em paralelo com a de obesidade, e se tornou um problema global. Estima-se que a síndrome metabólica acometa em torno de 30% da população acima de 20 anos nos Estados Unidos e aproximadamente um quarto da população adulta na Europa e na América Latina. Por que devo me preocupar com a síndrome metabólica? 

É muito importante identificar os pacientes com síndrome metabólica, pois, apesar de muitas vezes não sentirem nada, eles possuem um risco aumentado para diversas doenças. As duas principais são diabetes tipo 2 e doença coronariana, cujo risco é duas vezes maior nos pacientes com a síndrome quando comparados com os sem. Além disso, a síndrome já foi associado ao maior risco de acidente vascular cerebral isquêmico, doença hepática gordurosa, apneia obstrutiva do sono e cânceres como de mama e de cólon. Em mulheres, está associada à síndrome dos ovários policísticos e às doença hipertensivas da gravidez (eclampsia e pré-eclampsia). Estudos mais recentes têm levantado também a possibilidade de a síndrome metabólica afetar negativamente o desempenho neurocognitivo.

O diagnóstico precoce e o seu tratamento são essenciais para o impedimento de suas complicações.  

Como saber se eu tenho síndrome metabólica?

De forma geral, a prevalência da síndrome metabólica aumenta com o envelhecimento. O risco é ainda maior em pessoas com histórico familiar de diabetes, sedentários, com sobrepeso/obesidade e que já apresentaram níveis alterados de glicose, colesterol e pressão arterial. Essas pessoas devem procurar atendimento médico especializado para pesquisar se possuem os critérios diagnósticos para síndrome.

De acordo com as diretrizes profissionais atuais, a síndrome metabólica é diagnosticada quando um paciente possui pelo menos 3 das seguintes 5 condições:

  • Glicose no jejum ≥100 mg/dL (ou receita de terapia com medicamentos para hiperglicemia)
  • Pressão arterial ≥130/85 mm Hg (ou receita de terapia medicamentosa para hipertensão)
  • Triglicerídeos ≥150mg/dL (ou receber tratamento medicamentoso para hipertrigliceridemia)
  • HDL-C <40 mg/dL em homens ou <50 mg/dL em mulheres (ou recebendo terapia medicamentosa para HDL-C reduzido)
  • Circunferência da cintura ≥102 cm em homens ou ≥88 cm em mulheres; se asiático americano, ≥90 cm em homens ou ≥80 cm em mulheres (Segundo os critérios da federação internacional de diabetes, pode-se usar um índice de massa corporal [IMC]> 30 kg/m2 no lugar do critério da circunferência da cintura)

Como posso evitar a síndrome metabólica?

A prevenção é sempre a melhor opção. A adoção precoce de estilo de vida saudável, com dieta balanceada e prática regular de atividade física, preferencialmente desde a infância, é o elemento fundamental na prevenção da síndrome metabólica.

Uma dieta saudável envolve, de modo geral, um balanço energético que permita a manutenção do peso saudável, a redução da ingestão de calorias sob a forma de gorduras, a mudança do consumo de gorduras saturadas para gorduras insaturadas, redução do consumo de gorduras trans (hidrogenada), o aumento da ingestão de frutas, hortaliças, leguminosas e cereais integrais e a redução da ingestão de açúcar livre.

A atividade física deve ter duração mínima de 30 minutos, ser regular e incluir exercícios aeróbicos e de fortalecimento muscular. A melhora de hábitos de vida deve incluir também a redução do tempo de lazer passivo (televisão, jogos eletrônicos, atividades em computadores etc.)

Outras medidas como evitar o  tabagismo e o consumo reduzido de bebidas alcoólicas também são importantes.

Como tratar a síndrome metabólica?

O tratamento envolve a associação de um plano alimentar saudável à pratica regular de atividade física, visando a redução do peso e gordura abdominal, melhora dos níveis pressóricos, de glicose e de colesterol. Muitas vezes, é necessário também o uso de medicações para o tratamento da hipertensão, dislipidemia e para inibir a progressão  para o diabetes. A abordagem terapêutica para síndrome metabólica deve ser multidisciplinar (médico, nutricionista, educador físico) e individualizada para as necessidades do paciente. 

Dra. Mirela Miranda
Endocrinologista da Clínica Move

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Style switcher RESET
Color scheme